23/02/2009

Duas notícias de choque

O Desemprego continua a aumentar

Só no mês de Janeiro de 2009 o número de novos desempregados inscritos nos centros de emprego foi de 70 334 trabalhadores. Em relação a Dezembro/2008 é um aumento de 44,7%.
Que significado têm estes números?
- Que a crise está a afectar cada vez mais as empresas e algumas com lucros aproveitam para despedir ignorando a sua responsabilidade social e os trabalhadores pagam as favas.
- Os 8,5% que o governo previa de desemprego para 2009 vai na enxurrada.
- São os trabalhadores precários os mais prejudicados.
- Destes trabalhadores apenas cerca de metade vai receber subsídio de desemprego e o governo recusa uma proposta de lei do PCP para alterar essa situação injusta.




A Procuradoria Geral da República investiga 138 casos de violência nas escolas no ano de 2008

A maior parte dos casos diz respeito a agressões violentas e registadas a partir de Abril de 2008.
Os professores são vítimas de ameaças e agressões de todo o tipo: dentadas, murros, pontapés, ameaças com armas brancas e pistolas, agressões verbais,...
Segundo o Procurador Geral é vulgar os alunos levarem "pistolas de 6,35 e 9mm para as escolas. Para não falar de facas, que essas são às centenas". Podem estar descansados os professores e empregados que estão seguros e bem guardados.
Falta saber, mas não registos anteriores, os dados dos outros anos. Era importante saber por comparação se a política deste governo poderá ter tido ou não influência nestes números. Não podemos esquecer a política educativa de desvalorização da escola pública e dos professores.
Também a política social e de trabalho poderá ter a sua quota parte de responsabilidade.

1 comentário:

Ricardo S. disse...

Quem fala verdade e quem mente?
O números vêm dar razão ao autor do blog e a alguns escritos de um ou outro autor corajoso na nossa passiva e comprometida imprensa local.Amigos, não se cansem nem desistam.Estou agradecido porque é através de vós que estou sempre actualizado. Há muito tempo que anteciparam esta siruação do desemprego, que outros basbaques negavam. Ricardo S.