15/03/2009

É preciso acabar com a indiferença

Todos os países, todas as cidades, todas as vilas, todas as aldeias vão-se renovando, vão evoluindo, vão crescendo ou vão morrendo ao longo dos tempos. E também envelhecem. Por vezes chega um momento em que é preciso haver rejuvenescimento, que há quem chame requalificação. No entanto, requalificar não significa, no meu entender, destruir a memória e adulterar tudo o identificava uma cidade ou uma vila, em nome dum falso progresso ou modernização.
As intervenções urbanas feitas pela câmara municipal de Castelo Branco têm a marca do modernismo bacoco e fizeram-se coisas que, embora pouco significativas, têm o sinal do gosto duvidoso.
Haverá sempre aqueles para os quais tudo o que for feito está bem. São os apoiantes indefectíveis . O seu espírito crítico limita-se a apoiar. Para eles não existe gosto. Aceitam tudo desde que venha do seu "Sol".
Haverá também outros que, embora reconheçam que há coisas mal feitas, não protestam, porque o que é preciso é fazer. Ainda não descobriram que há muitas maneiras de fazer obra e que é preferível não fazer nada do que fazer mal feito. Há mais gente que sabe fazer. Precisam é de oportunidade para o fazer.
Há, depois, aqueles que gostam de coisas bem feitas, que têm espírito crítico e não admitem a indiferença. É preciso lutar contra a indiferença.
Batista-Bastos escrevia há dias num jornal o seguinte: "(...) ao mesmo tempo reconhecia o triste silêncio de uma mais triste gente que por aí anda, civicamente adormecida, (...), que somente se preocupa em arrumar a vidinha"- isto a propósito de outras questões mas que se aplica à indiferença que corrói, que se banaliza e que permite que a nossa cidade seja transformada numa "coisa" fria, sem alma, sem identidade, sem gosto e ninguém levanta a voz para protestar, para contestar, para exigir que aos albicastrenses seja dado o direito de opinar sobre o que querem para a sua cidade.
Temos vindo a tomar posição sobre muitas obras que têm sido feitas. Com algumas delas não concordamos em absoluto e dizemos porquê. Algumas vezes são questões menores. No entanto, os pormenores fazem, por vezes, a diferença. É o caso que hoje vamos apresentar.
Não gosto do que vejo na foto. Para mim os candeeiros não "nascem" no meio da relva. Eu "vejo" as árvores no meio da relva. Aqui é ao contrário. Também os bancos não estão bem. Estão virados para dentro. Para mim ficavam bem virados para fora. Passo regularmente no local e nunca lá vi uma pessoa sentada. São desabrigados no inverno e não vão ter sombra no verão.
A CDU, aquando da discussão do programa Polis, propôs que as obras a realizar fossem discutidas e aprovadas na Assembleia Municipal uma a uma, permitindo assim a opinião dos munícipes e ter-se-iam evitado alguns disparates nas obras realizadas pela câmara do sr. Morão. A proposta foi recusada. Eles sabem tudo e não precisam da opinião dos outros. Está a ver-se diariamente. Parafraseando um dizer conhecido: cada obra cada asneira.

Prepara-se uma intervenção de fundo na zona da estação do caminho de ferro. É tempo de os munícipes darem a sua opinião sobre o que se pretende fazer. A avenida da estação (avenida Nun'Álvares) é a mais bonita da cidade. Não podemos deixar que a adulterem.

Já é tempo de a câmara pôr à discussão dos munícipes o que pretende fazer. Desde já, a avenida deve ser intocável.Que tipo de intervenção deve ser feita para a estação? Como se vai fazer a ligação com a parte sul da cidade? O que se pretende fazer na zona da Metalúrgica? E no Largo da Estação? Podemos continuar a fazer perguntas. Temos é de acabar com a indiferença dos albicastrenses. A cidade é deles e não podem e não devem deixar "destruir" a sua cidade. A avenida Nun'Álvares é emblemática e deve ser melhorada, mas não alterada. Devemos dar opinião antes de qualquer obra ser feita. Depois já é tarde. É um direito de cidadania dar opinião acerca da coisa pública. Uma cidade é como um ser vivo, se maltratado, morre.

5 comentários:

Anónimo disse...

O sr. Morão prepara-se para arrasar a avenida depois das eleições. Eleições que vai ganhar. A lógica é esta: se ganha tem legitimidade para fazer o que quiser. E vai continuar a "vender" a cidade aos bocados e a interesses r gostos obscuros.

Anónimo disse...

O que seria Castelo Branco sem estas árvores? olhem bem como está a ficar a"praça" da Câmara, futura Praça Joaquim Morºao. Mais pedra e verde falso não!

Carlos Vale disse...

Ora aqui está uma situação que deve merecer a mobilização de todos os albicastrenses.
A reportagem fotográfica e o texto são excelentes.É a mais bonita Avenida da cidade.Das mais bonitas que conheço.Já foi alvo de maldades urbanísticas,tanto nas construções dos prédios,como na invasão do automóvel nas alamedas laterais.Mas,ainda,mantém o seu perfil inicial.Há quem avance que querem mexer nas alamedas laterais e consequentemente nas árvores.
Seria um crime grave.Penso que é urgente exigir uma clarificação.
Chegou o momento de tomarmos uma posição,nem que para isso seja preciso organizar uma Comissão.
Não podemos perder mais tempo. Carlos Vale

Anónimo disse...

vão rebentar mesmo com a avenida está decidido.
o arquitecto Grilo que ligações é que tem com a Câmara?
o jardim ou zona verde da estação é uma falácia e uma mentira
VAI SER MAIS BETÃO
MORÃO O REI DO BETÃO

Anónimo disse...

Sobre a envolvente a biblioteca quando se diz neste blog que "Para mim os candeeiros não "nascem" no meio da relva. Eu "vejo" as árvores no meio da relva. Aqui é ao contrário. Também os bancos não estão bem. Estão virados para dentro. Para mim ficavam bem virados para fora" isto é um comentario puramente para contrariar e critar coisas que não são criticaveis por favor com comentarios deste não vamos a lado nehum!!!!!!

Já agora sobra a Avenida e Estação quanto a min a estção velha vem abaixo tunel por baixo da linha a ligar a avenida NUNO ALVARES a rotunda do outro lado parque subteraneo com acesso pelo tunel e construção de uma mega estção rodo ferroviaria com ligações superiores e lojas. Na Avenida o unico que deve ficar igual são as arvores de resto dever ser tudo arasado porque ta uma vergonha.

Sei que são capazes de critar a minha oipinião sobra destruição da estação velha mas quanto a min é um edificio velho feio sem quaisquer mosaicos ilustrativos nas fachadas como acontece em outras estações e para além de mais os WC's estão no esterior uma vergonha e já tem partes acrescentadas ao edificio principal que o deixam ainda pior.